Bom dia Basel

Hoje pela manha tive que fazer um pequeno “passeio” ate o escritório do nosso contador. Preferi ir a pé. Adoro andar de bicicleta mas prefiro caminhar. Me custou certa de 15 minutos para ir e mais 15 minutos para voltar. Pelo caminho algumas cenas me chamaram a atenção. Pela primeira vez vi uma freira andando de bicicleta. La vinha ela pedalando, pedalando com sua roupa preta, lenço branco na cabeça e o crucifixo grande que balançava de um lado ao outro batendo contra o seu torax, no ritmo da pedalada. Achei a cena interessante. Me fez lembrar o filme da Noviça Rebelde. Um pouco mais adiante vi uma moca com os cabelos tingidos de azul da cor do céu. Corrigindo: azul cor do céu que eu tenho referencia… porque olhei para cima e o que vi foi um céu bem cinza. Isto me fez lembrar de quando fomos pela primeira vez com o Pimpolho para a Itália e então encontramos um dia ensolarado. O Pimpolho tinha alguns poucos meses de vida mas como nasceu no inverno não tinha ainda visto o sol e céu azul. Dai eu brinquei com ele dizendo: “Viu filhinho? O céu na verdade eh azul!”. Ainda no meu passeio de hoje, tive que atravessar uma avenida por uma passarela no subsolo. De longe eu escutei uma musica e logo depois vi que havia alguém tocando violão e cantando uma musica animada em alguma língua que eu não consegui identificar. Parecia algo do leste europeu. Enfim, agi automaticamente e não olhei muito para o lado dele e passei direto. Depois fiquei pensando que essa não era uma boa maneira de começar o ano. Fingir que não viu alguém que não estava fazendo nada além de tocar uma musica animada em uma passarela deserta? Porque será que agimos assim tão automaticamente? Fiquei pensando que provavelmente ele escolheu aquele lugar por ser um pouco mais quente que a rua e assim seus dedos não congelariam tocando o violão. Decidi então voltar. Separei algumas moedas que tinha na minha carteira, voltei e as deixei junto a sua sacola que estava no chão e de quebra ainda ofereci o meu sorriso e um bom dia em alemão. Não recebi nada de volta. Nem sorriso, nem bom dia. E isto me fez lembrar uma frase que esta sempre comigo e que eh mais ou menos assim: “Cada pessoa com quem você se encontra esta travando uma batalha interna.” Recitei baixinho um mantra para ele e outro para mim que, assim como ele, também travo minhas batalhas internas. Porque no fundo, no fundo, somos todos iguais. Apenas estamos em contextos diferentes.

Deixo com vocês algumas imagens do que vi em Basel hoje cedinho. Bom dia para você também! 🙂

b7

Flores resistindo ao inverno. 🙂

b6

b4

Detalhes de Baselb3

b2

b8

Como vocês podem ver, a caminhada foi bem congelante! Brrrrr

Anúncios

4 pensamentos sobre “Bom dia Basel

  1. Maila, gostei tanto do jeito que você escreveu nesse post. Me imaginei andando enquanto lia. Eu sempre faço isso também, adoro caminhar e observar detalhes. Muito lindo o seu gesto de ter voltado atrás e oferecido o seu sorriso. Mais bonito ainda foi o fato de – mesmo sem ter recebido nada em troca – você ponderar com otimismo sobre a luta diária de cada um. Lindas suas fotos, especialmente a da janelinha com o coração!
    beijão
    Ana

  2. Nossa, que legal você ter voltado e oferecido o seu sorriso :-).
    Eu também tenho carrego uma frase comigo: cada um oferece o que tem de melhor! De você, foi o sorriso. Adorei a caminhada!!!!

  3. Eu adoro caminhar, justamente par observar esses detalhes que na correria do dia a dia passam despercebidos. Fui longe com o seu texto e até me senti como a personagem principal da história kkkk.
    Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s