Sobre a liberdade (que ninguem tem)

E se por um segundo tudo desaparecesse e toda a paz do universo pudesse ser sentida. Era so este o desejo daquela tarde, daquele dia, daquele mes, de todos aqueles anos e vidas: Que tudo se fosse sem deixar o minimo rastro. Que entao o mais infimo detalhe da mais pequena sensacao, da mais pequena acao e tambem do menor e do maior dos sentimentos pudessem todos, simplesmente desaparecer. E que nem a mais leve das leves vibracoes fosse mais sentida. E entao assim a verdadeira liberdade seria possivel. Seria…

Mas nao eh.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s