Sobre ter sorte e fazer esforço

“Tem algumas coisas na vida que se você não tem por sorte, então terá que se dedicar, e muito, para te-las. Alguma dessas coisas são:

  • Amor
  • Emprego legal
  • Saude
  • Família maravilhosa

E se você tem uma ou mais de uma dessas coisas, ahhh então valorize-a(s).”

Foi mais ou menos assim que entendi o “stories do Instagram” da Diorela (Saída a Francesa).  E isso juntando ao fato de que algumas semanas atrás eu estive a conversar com uma amiga que esta procurando emprego. Eu queria motiva-la para uma entrevista porque sei o quanto ela eh competente. Mas a medida que falava com ela, me lembrava de alguns amigos que são também competentes mas nunca encontraram um emprego legal e então comecei a pensar na inutilidade do meu discurso… Durante a conversa com minha amiga eu não consegui equacionar o por que disso. Mas depois, assistindo ao stories da Diorela, eu achei muito interessante ela falar sobre sorte.

Eu sempre me perco nesta fronteira que classifica os acontecimentos como sorte ou como fruto de esforço. Na verdade acho que os dois se complementam. E mais, acho que a proporção varia de situação para situação e de pessoa para pessoa. Existe gente sortuda? Existe sim. Eu inclusive acho que sou mais sortuda do que azarada. Mas acho também que muitos dos momentos de “sorte” que tive na minha vida foram fruto de esforço. E não falo somente sobre esforco físico de levantar cedo, sair para trabalhar ou estudar, chacoalhar em ônibus lotado,  suar a camisa etc e tal. Eh obvio que isso eh importante e deve sim ser valorizado. E muito! Mas existe “algo” alem disso. E eh algo difícil de explicar porque eh muito pessoal. Há quem chame de fé, há quem chame de energia, frequência, filosofia, exoterismo, otimismo e há ate quem julgue o outro, portador deste “algo”, classificando-o simplesmente como inocente.

E que bela e útil pode ser a inocência! Já pararam para pensar?  Talvez a sorte seja uma grande amiga dessa inocência, assim como eh grande amiga do esforço. Se o esforço te faz acordar cedo para suar a camisa todos os dias, a inocência eh quem te faz acreditar que isto eh por uma boa causa. Eh a inocência que te faz acreditar que “um dia” você terá a sorte de conseguir um trabalho legal depois de tanto se esforçar no curso que esta fazendo. Eh também a inocência que te faz acreditar que “um dia” você vai encontrar aquela pessoa com quem vai querer dividir um pedaço ou a vida inteira (para os mais românticos), mesmo depois de ter se decepcionado tantas vezes. Eh também a inocência que te faz pensar que “um dia” você terá a sua própria familiar super legal, mesmo não tendo uma família legal agora. Ou, que a família legal que tem hoje existira para sempre. Eh também a tal da inocência que te diz que você envelhecera saudável. Ou, que você se recuperará daquela doença e se tornara uma pessoa saudável e então será outra pessoa. Enfim, essa tal da inocência de faz acreditar neste “algo”.

Pois bem, este “algo”, que se deve conquistar, ter, manter, enraizar-se e tornar-se algo seu, eh, na minha humilde opinião, tão ou mais importante que o tal do esforco. Na minha mente de bicho grilo/engenheira eu diria que a seguinte equação funciona: “algo”+ esforco = possibilidade de sorte. E diria também que esta equação, para mim, só funciona assim! Aquele que se esforça como um louco no dia a dia e não consegue de alguma maneira se conectar com este “algo” (seja lá o que o “algo” for para esta pessoa) não terá muitos encontros com a “sorte”. O mesmo acontecerá com aquele que se conectar, ainda que com profundidade, com este “algo” mas não se esforçar de uma maneira mais mundana.

Receitas para felicidade, sorte, amor, saúde etc e tal não existem. Existem sim indivíduos diferentes com vivências e expectativas diferentes. Há quem nasça doente, por exemplo. Seria isto uma falta de sorte? Depende. Depende de que? Depende da perspectiva que se olha, depende da expectativa que se tem, depende do padrão que se quer seguir, depende de julgamentos, depende ate da sociedade onde se esta inserido ou do momento histórico em que se vive. Há quem passe uma vida inteira sem encontrar o grande amor, ou sem conseguir gerar o filho tão desejado, ou buscando um emprego legal. Falta de sorte? Falta de esforço? Prefiro perguntar de outra maneira: de tudo isso que tanto queremos nessa nossa vida, quanto eh realmente nosso desejo e quanto eh o desejo que os outros nos disseram para ter?

Sorte? Para mim existe como fruto de “esforço” e de “algo” a mais. E este “algo” alem de todos os nomes que já demos, também deveria/poderia simplesmente se chamar AUTOCONHECIMENTO.

 

Nota: Quando vi o “stories” da Diorela, minha amiga virtual, achei muito interessante e sugeri que ela escrevesse um texto sobre isto. Ela então me sugeriu que eu também escrevesse sobre isto e assim trocamos nossas figurinhas. Depois de refletir sobre o assunto, saiu este texto acima. E o mesmo aconteceu com a Diorela:

Voltando pra casa, no vento vermelho de outono que me embaraçava os cabelos mais que tudo (sorte sua que tem cabelos soltinhos e macios). Ali, la na ponta inicial dos meus fios, eu pensava « Ai se eu tivesse encontrado um grande amor ». Peguei a câmera e fiz daqueles vídeos que ficam no ar por 24h. Falei de quatro coisas que, se a gente não tem por sorte, é meio difícil a gente encontrar/ter : Um grande amor, um bom trabalho, muita saúde e uma família maravilhosa. (continua AQUI)”

 

 

Anúncios

3 pensamentos sobre “Sobre ter sorte e fazer esforço

  1. Pingback: Sobre ter sorte e fazer esforço | saída à francesa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s